Que softwares podem mudar sua vida em 2014?

O que acontecerá no mundo do software em 2014? Analisamos as últimas tendências e novidades para te proporcionar uma série de previsões que, temos certeza, vão afetar sua vida de uma forma ou de outra,

Fazer previsões para nós não têm nada de místico: se trata de pôr por escrito sensações que foram amadurecendo ao longo de meses de observação. Muitas das notícias que publicamos diariamente mostram padrões subjacentes, e a partir desses deles, tentamos prever o que virá.

O que pretendemos aqui, em resumo, é desenhar futuros prováveis, pôr por escrito perguntas que passam por nossas cabeças e conectar pontos do “mapa do software”. Queremos que essas previsões te façam refletir sobre a direção que a tecnologia que você usa diariamente poderia tomar.

Para facilitar a sua leitura, agrupamos nossas previsões em cinco grandes temas: sistemas operacionais, videogames, segurança informática, comunicadores instantâneos  e inteligência artificial, entendida como a tecnologia que nos ajuda na tomada decisões.

O resumo de nossas previsões para  formato infografico (autor: Abel Bueno)

Sistemas operacionais: Windows 9, grátis para Lumia e Surface

O Windows 9 será um sistema que unirá o Windows Phone e o Windows RT em um só produto. A união fará com que possamos usar os mesmos aplicativos tanto em tablets Surface como nos telefones Lumia. Quando? No final de 2014 já teremos em nossas mãos um beta (versão de testes) do Windows 9 (a edição final chegará chegará em 2015). Seguindo o rastro do Mac OS X Mavericks, o Windows 9 será gratuito: é a nova moda entre os sistemas operacionais (e não que a gente esteja reclamando, claro).

E a resposta do público? Nossa previsão é que o Windows 9 tenha uma das melhores arrancadas da história do Windows, em parte graças à morte programada do Windows XP, e ao empurrão do Windows Phone. Uma atualização do Windows 8.1 à versão 8.11 ou 8.2 acompanhará o lançamento do Windows 9 para aproximar a edição do escritório à versão dos dispositivos móveis.

A batalha pelo quarto lugar em 2014: Firefox OS vs. Ubuntu OS

A convergência de sistemas, que também será vista com o Ubuntu OS, é uma prévia do que virá no futuro: alguns poucos sistemas para uma gama ampla de dispositivos. Em 2014, assistiremos a aproximação do Chrome OS e do Android, que em sua versão 5.0 permitirá executar aplicativos do Chrome. O inverso- que o Chrome OS execute apps do Android- só será possível nos Chromebooks, como o novo Google Pixel.

O Google Pixel será o primeiro dispositivo a desfrutar da simbiose do Chrome OS / Android

Videogames: Nintendo no celular, PS4 em streaming

Muito a contragosto, a Nintendo, que alguns já consideram em crise, não poderá ignorar os dispositivos móveis por muito mais tempo (e não, não estamos falando do Nintendo DS). Em 2014, ela anunciará seus primeiros títulos para smartphones e tablets. E será uma loucura: veremos o Animal Crossing e o Brain Age no Android e no iOS. Ao mesmo tempo, a companhia japonesa lançará jogos sociais para o Facebook; King, Rovio e Zynga passam a ter a nada desprezível concorrência da criadora de Mario Brothers e cia.

Talvez em 2014 vejamos algo parecido ao SNes HD para iPad, só que oficial (fonte)

Sem a Nintendo como adversária direta, o PS4 e o Xbox One se enfrentarão e também vão encarar um novo concorrente: o Steam, que com o Steam OS promete dar trabalho nessa guerra. A resposta da Sony e da Microsoft? Serviços de jogos através de streaming, quer dizer, jogar os títulos dos consoles a partir do telefone, do tablet ou do computador. Como? A Sony tem a Gaikai e a Microsoft, sua própria tecnologia.

O futuro: o console como um servidor se conectará a uma variedade de dispositivos

Já os games para celulares passam a ter como padrão os apps auxiliares: cada grande lançamento será acompanhado por aplicativos extras, mesmo que sejam poucos os que se destacarão além da média. Os mais espetaculares serão os que façam uso da realidade aumentada (por exemplo, para sobrepôr o conteúdo do jogo ao da vida cotidiana).

Segurança: adeus aos antivírus clássicos e às senhas

No ano que vem assistiremos a maior mudança na história dos antivírus. Menos úteis que os de outrora, muitos irão desaparecer ou farão fusões com outras empresas. Outros começarão a se converter em plugins para o navegador ou soluções exclusivamente na nuvem. Serão referência na segurança web e na detecção de ameaças nas redes sociais. O novo avast! 2014 já mostra muitas dessas tendências.

O futuro dos antivírus é esse: plugins de alta qualidade e com detecção na nuvem

O golpe de misericórdia à segurança tradicional virá com o lançamento do Java 8, que promete solucionar muitos dos problemas que códigos maliciosos poderosos provocaram recentemente. Por outro lado, uma política de tolerância zero por parte dos navegadores com relação às vulnerabilidades e aos plugins de terceiros, como o Flash ou Java, fará que as novas ameaças cheguem por uma outra via, que cresce a cada dia: o HTML5.

“Se você pode fazer o Doom no HTML5, nada te impede de criar um malware no JavaScript” (fonte)

E a privacidade? O escândalo da NSA fará com que 2014 seja um ano que a proteção dos dados adquira relevância especial. Os sistemas operacionais móveis lutarão para serem os mais seguros, e os aplicativos web melhorarão sua segurança com uma encriptação mais forte e a implementação de sistemas de autenticação alternativos, como as impressões digitais que o iOS7 é capaz de ler graças ao Touch ID.

Aplicativos de mensagens instantâneas: o anti-WhatsApp será visual, seguro e… sexy

Em 2014, veremos a chegada de um potente rival para o WhatsApp . Ele se baseará em imagens antes ao invés do texto, e contará com uma segurança mais desenvolvida, incluindo um engenhoso sistema de mensagens que se autodestroem ao estilo Snapchat. Igual ao WhatsApp, o novo app será gratuito por um tempo, para logo depois solicitar um pequeno pagamento.

React é um aplicativo de chat que faz autorretratos automaticamente

E o marketing? Esse novo aplicativo não se promoverá através de campanhas publicitárias agressivas, como as de LINE ou WeChat, mas sim de forma viral, começando pelos usuários mais jovens e um sistema de convites. Ele se inspirará em fenômenos de 2013 como o Snapchat, Ketchup e Bang With Friends. Não se descarta que o app conte com um componente de azaração importante.

O promissor app Avalable se apresenta como um “Facebook para solteiros/as” (fonte)

Por outro lado, em 2014 os demais aplicativos consolidarão sua base de usuários, mas alguns como o Skype ficarão estagnados ou se transformarão radicalmente. Esperamos um grande crescimento de Hangouts– empurrados pelo Android, Helpouts e Glass-, assim como do Viber. E o BlackBerry Messenger? Após uma subida inicial, ele ficará com um pequeno segmento do mercado, a espera que a BlackBerry apresente novos dispositivos BB10. Ou seja comprado por uma de suas concorrentes (o que é mais provável).

Inteligência Artificial: Apps que aconselham, cuidam e… dirigem

Como um bom mordomo, seu telefone começará a dirigir por você -em alguns protótipos do Ford e da Toyota- e transmitirá dados úteis. “Ficção Científica!”, você dirá. Mas já existem apps que falam com o carro, como o Fuse, que, se tiverem sucesso, seriam uma mudança radical na forma como usamos nosso veículo. Por isso, o Google segue com seus experimentos de direção automática. Você imagina o Google Maps dirigindo por você?

Só que o papel de mordomo /chofer não acaba nas rodovias. E assim, enquanto alguns aplicativos de realidade aumentada escanearão objetos cotidianos para imprimi-los em 3D– a impressão de objetos será o outro boom de 2014- outras irão reconhecer rostos para agregá-los à sua agenda, ou irão identificar alimentos para registrar sua ingestão calórica. A tecnologia para que os apps de reconhecimento de objetos já existe.

Google Goggles escanea objetos tipo Terminator, mesmo que ainda falhe com a comida

O telefone celular inteligente será o centro de uma pequena nuvem de dispositivos que irá registrar movimentos, gravará instantes e nos dará conselhos. Alguns desses gadgets nos educarão através da realidade aumentada. Mas só o auge do wearable computing (Google Glass, relógios inteligentes, pulseras) fará com que esses apps tenham sucesso.

Behavio mostra informação sobre o que vemos; foi adquirida pelo Google

Finalmente, não devemos esquecer de um dos temas mais importantes: a saúde. Em nossa opinião, 2014 será um ano que em os aplicativos para controlar e cuidar do estado de saúde melhorarão em qualidade, graças ao hardware especializado.

Kinsa, o termômetro inteligente com app para iPhone (fonte)

Dessa forma, não apenas conheceremos o nosso ritmos cardíaco, como também o nosso nível de estresse e resistência física, e os médicos poderão usar os primeiros apps para o diagnóstico médico.

Nos vemos dentro de um ano…

Quisemos ser atrevidos. Nossa experiência nos ensinou que assim que as previsões devem ser feitas, e que se lançar tem efeitos positivos. Também somos conscientes de que muitas das coisas que escrevemos aqui não só não irão se realizar, como serão substituídas por eventos ainda mais surpreendentes. Mas a graça e a emoção de tentar adivinhar o futuro está aí, não é mesmo?

Quais dessas previsões você acredita que se cumprirão?

Artigos recomendados:

[Artigo original em espanhol]

Carregando comentários