No ritmo da copa: testamos o jogo 2014 FIFA Copa do Mundo Brasil

O mundial está chegando e, com isso, uma nova versão do FIFA dedicada à Copa do Mundo de 2014 no Brasil. Estivemos em Madri recentemente para assistir à apresentação do novo título da EA Sports.

Quer dizer, não ficamos limitados a apenas assistir, mas também experimentamos o game para verificar as mudanças de jogabilidade anunciadas por Matt Prior, o responsável pela produção do 2014 FIFA Copa do Mundo Brasil.

Vejamos o que o título, que será lançado em 15 de abril nos EUA e 17 na Europa para PC, Xbox 360 e Playstation 3, tem a dizer e se as novidades compensam gastar nosso dinheirinho em mais uma versão de futebol da EA.

Atmosfera no ritmo de samba

Desde o primeiro momento você notará a forte presença brasileira no jogo, onde Neymar é protagonista absoluto em vez do tradicional Messi. 2014 FIFA Copa do Mundo Brasil tem como objetivo reconstruir a atmosfera do mundial e projetar você diretamente na famosa competição, como se estivesse realmente ali. E nisso a EA se saiu muito bem.

Do menu para o campo, a atmosfera do mundial está sempre presente. Antes de começar as partidas, assista aos pequenos vídeos introdutórios dos 12 estádios brasileiros. Também não deixe de reparar na animação dos torcedores apoiando suas seleções em praças públicas. É igual ao que vemos durante a Copa de verdade.

A decisão de desenvolver o game apenas para PC e consoles da terceira geração – excluindo PS4 e Xbox One – não foi determinada só por questões de recursos, mas também pelo desejo de alcançar a maior quantidade de jogadores possível. Especialmente os gamers do Brasil, onde os consoles da próxima geração não estão difundidos (e são muito caros!).

Modalidade de jogo: reescreva a história do mundial

Como na última versão do FIFA, o game da Copa do Mundo privilegiará a modalidade online, mas sem esquecer, claro, da versão offline. O modo de jogo mais interessante é o Road to Rio de Janeiro, no qual você joga com qualquer uma das 203 seleções disponíveis contra jogadores no modo online. Sua jornada começará em São Paulo e terminará no Rio de Janeiro, no lendário estádio Maracanã.

A outra parte offline, Road to the FIFA World Cup, começa a partir da fase de qualificação para o mundial. Então, no máximo, você pode chegar aos grupos do mundial. A modalidade pode ser jogada por um máximo de 32 pessoas.

Entre outros modos interessantes, está o Captain your Country. Aqui, você deve controlar um jogador, que precisa ser treinado para se transformar no capitão da equipe nacional. Em Story of Qualifying, você disputa partidas que realmente aconteceram durante as eliminatórias. Dá para mudar o resultado da partida ou reescrever a história.

Jogabilidade

A jogabilidade do FIFA Copa do Mundo foi mudada sutilmente. Sobretudo na questão de velocidade, que foi tão criticado durante o lançamento do FIFA 14, e a acessibilidade aos recém-chegados no simulador.

Como explicou Matt Prior, os jogadores do 2014 FIFA Copa do Mundo Brasil serão compostos por 50% de veteranos e 50% de novatos. Para tornar mais fácil a experiência inicial, o nível Principiante foi simplificado ao máximo. As seleções, neste modo, poderão ser controlados com dois botões. Depois de testar este nível de dificuldade, pudemos confirmar: aos 45′ do primeiro tempo estávamos ganhando de 7-0 com a seleção no estilo carrossel holandês do… Bahrein!

“Se você nunca jogou um game da FIFA, este é o título de futebol para você entrar no campeonato da EA”, afirma Matt Prior

As cobranças de escanteio foram ligeiramente mudadas. Agora você pode escolher algumas opções táticas com o direcional digital para mudar o comportamento do time na hora da cobrança: dá para movimentar os jogadores fora da área, pressionar o goleiro e escolher qual trave você quer deixar seu artilheiro (ou zagueiro) parado. Isso não quer dizer que as cobranças de escanteios ficaram mais fáceis. Ainda é preciso direcionar o chute com precisão e ajustar a potência de acordo com a tática escolhida. E ter um pouco de sorte, como sempre.

Na verdade, o que mudou radicalmente (e acredite, para melhor) são as cobranças de pênalti. A série de futebol da EA tem aumentado constantemente a dificuldade de cobrar a penalidade máxima. Parece que os desenvolvedores perceberam a questão e resolveram simplificar a forma como os pênaltis são chutados.

Os goleiros também receberam novas animações. Dá até para usar alguns comandos para distrair o atacante que está próximo de chutar a cobrança, como tremer as pernas. Existem outros gestos automáticos para facilitar a defesa. Quando um goleiro é deslocado, por exemplo, ele ainda tentará bloquear a penalidade como um último ato de desespero para se redimir.

Aliás, sobre este assunto, nós conseguimos assistir a uma cena divertida com o Buffon. Durante o pênalti, nós saltamos para a direita. Chegamos na bola à tempo, mas o impulso do pulo para a defesa (e o braço estendido para chegar mais longe), fez a bola voltar para o gol, exatamente como aconteceu com o goleiro Khalid Askri.

Matt Prior também apresentou um novo sistema de jogabilidade chamado World Class, que inclui modificações como dribles reativos, passes mais precisos, acelerações explosivas, novas animações durante as fintas, paradas bruscas e passes de calcanhar. Também veremos a física da bola Brazuka fielmente reproduzida, graças aos técnicos da Adidas que trabalharam em colaboração com a equipe da EA Vancouver.

Durante a partida, notamos mais velocidade de jogo que o FIFA 14. É uma espécie de retorno parcial ao emocionante – e alucinante – FIFA 13. Sim, porque, a velocidade aumenta a possibilidade do pessoal não fugir do meio de campo com lançamentos longos, como é comum acontecer no último título.

Outra coisa: reparamos que a passagem em profundidade está mais fácil e eficiente. De resto, é a mesma jogabilidade do game lançado em setembro. A única falha que poderia ser corrigida é a potência dos chutes, que às vezes é bastante exagerada, mesmo que não seja feita por jogadores habilidosos.

Um presente para todos torcedores do mundo

A Electronic Arts acostumou a gente com lançamentos de títulos perto de grandes campeonatos de futebol: há dois anos lançou a Eurocopa da Polônia e Ucrânia numa DLC para o FIFA 12; neste ano, a Copa é um título à parte.

O game claramente se concentra em reconstruir a competição, reproduzir as seleções com fidelidade e simular a atmosfera brasileira durante o campeonato em vez de trazer mudanças reais para a série.

Sem inovação comparado aos títulos anteriores do FIFA, o game da Copa do Mundo é um dos títulos que mais aplicam alterações na jogabilidade, mesmo que sejam mudanças superficiais, como os novos dribles, por exemplo.

Se você é um fã incondicional da Copa do Mundo, 2014 FIFA Copa do Mundo Brasil é um jogo que vale a pena comprar. Ali, todos os ingredientes para simular a maior competição do futebol estarão presentes: torcedores, animações, atmosfera, som, estádios… Se você prefere jogar uma versão atualizada da essência do FIFA, é melhor esperar pelo FIFA 15!

Leia também

[Artigo original em italiano]

Carregando comentários