Procon-SP e ReclameAQUI ajudam a evitar a Black Fraude

Procon-SP e ReclameAQUI ajudam a evitar a Black Fraude

Já aproveitou as ofertas brasileiras da Black Friday? Ainda dá tempo. A maioria das promoções vão até a meia-noite de hoje, e muitas empresas acabam estendendo os descontos durante todo o final de semana. Mas, muita atenção! No Brasil, a Black Friday já ganhou o apelido de Black Fraude, em razão das práticas e comportamentos abusivos das lojas neste período. Saiba como se proteger disso.

Para você entender melhor, Black Friday é um termo criado pelo setor varejista norte-americano para designar a grande ação promocional que acontece sempre na última sexta-feira de novembro, após o feriado de Ação de Graças (o famoso Thanksgiving Day). No Brasil, o evento começou a tomar força nos últimos anos, mas desde a primeira edição, em 2010, vem recebendo críticas dos compradores. A maior delas é que as lojas brasileiras na verdade aumentam os preços dos produtos nos dias anteriores à promoção para oferecê-los com o preço normal na sexta-feira como se fosse um desconto. Daí que veio a adaptação brasileira de Black Fraude.

Mas você pode – e deve – se defender dessa prática condenável. E, para isso, existem órgãos e páginas web que são uma mão na roda. Um deles é o próprio o Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon). O Procon-SP mantém uma lista de sites identificados como fraudulentos, que atualmente reúne mais de 300 endereços. Os motivos são os mais variados: desde a falta de serviços de atendimento ao cliente, para receber reclamações e tirar dúvidas, até falhas na entrega de produtos.

Outro serviço que luta em defesa do consumidor é o site ReclameAQUI. Este ano, o site de reclamações criou uma seção dedicada especialmente para a Black Friday, com dicas de como aproveitar as promoções e – o mais interessante – uma lista das empresas mais reclamadas da Black Friday, atualizada em tempo real. Na página é possível visualizar e comentar cada uma das queixas dos usuários.

O site oficial da Black Friday no Brasil, o Busca Descontos, disse estar atento a tudo isso. Uma das atitudes nesse sentido foi barrar a participação de empresas que integram a lista do Procon-SP da iniciativa. O interesse das empresas é limpar o nome do evento e ganhar prestígio ao longo dos anos, aproximando a versão tupiniquim da que acontece anualmente nos Estados Unidos. A versão 2013 da Black Friday Brasil conta com mais de 100 empresas participantes.

Para que o Brasil chegue a ter uma Black Friday como a original, sua participação também é muito importante. Pesquise, compare, reclame. Compre apenas se a oferta for realmente promocional e denuncie os casos abusivos que encontrar por aí.

  • Link Copiado!
Carregando comentários