FIFA 14: prós e contras do novo jogo da EA

Jogamos o novo simulador de futebol da Electronic Arts e apresentamos aqui nossas primeiras impressões do FIFA 14.

Após a análise do PES 2014, agora é hora de avaliar os prós e contras do FIFA 14, o favorito deste ano, na eterna batalha entre FIFA e Pro Evolution Soccer. Quem vai ganhar a batalha da versão 2014? O veredito está em suas mãos.

Gráficos e som

Se a parte técnica do FIFA 13 foi espetacular, o do FIFA 14 é sublime. Apesar da versão para PC não poder aproveitar o motor Ignite, os gráficos foram melhorados e agora os rostos dos jogadores, os movimentos e as animações ficam cada vez mais próximos da realidade.

As expressões dos jogadores durante as celebrações são fiéis às dos seus homônimos na vida real, bem como a forma como eles se movem. O Pure Shot é uma inovação visível e que impede aqueles “pulos” de quadros no momento do chute.

É claro que a maioria das inovações são para aqueles que já estão familiarizados com os capítulos anteriores do jogo da Electronic Arts. Porém, você pode conferir algumas amostras, como os efeitos sonoros na hora de chutar a bola, ou quando ela bate na trave, que são dois detalhes apreciados por quem é fã deste esporte.

A EA falou muito sobre o Ignite, o novo motor gráfico do FIFA 14 para consoles next-gen (PS4 e Xbox One). Para a geração atual e PC, infelizmente, decidiu manter o mesmo motor que a edição anterior, que ainda é um ótimo motor gráfico, mas que já teve seu dia. E as melhorias, tanto visuais quanto de som, são muito limitadas. Esperávamos muito mais pois o rival direto, o PES 2014, tem neste quesito uma das suas melhores armas para esta temporada: a atmosfera de jogo.

Jogabilidade

Ficamos impressionados com a nova jogabilidade do FIFA 14. Esperávamos algumas melhorias, mas elas foram muito além das nossas expectativas. Primeiro de tudo, as animações têm uma fluidez impressionante, as mudanças de direção são menos bruscas e mais harmoniosas. Os jogadores são capazes de se coordenar de forma realista, como se fossem os craques verdadeiros. Um exemplo: os atacantes mais astutos que se movem na linha de impedimento. Em resumo, tudo parece ser modelado e animado com muito cuidado.

O FIFA 13 foi criticado por muitos – e com razão – pela velocidade de jogo um pouco exagerada. A EA deu ouvidos ao feedback dos seus usuários e, no FIFA 14, impôs um ritmo de jogo mais lento, permitindo um melhor desenvolvimento da partida e um jogo de equipe mais pronunciado.

A defesa teve enormes progressos. Os dribles e trombadas entre os jogadores rivais são incrivelmente realistas e é de grande importância escolher o tempo da entrada e a força de cada jogador. Não devemos esquecer das melhorias no Tactical Defending: uma falha na primeira intervenção não significa mais perder a oportunidade de pegar a bola. Os jogadores são mais ágeis agora e por isso podem tentar uma segunda intervenção, para conter o adversário e ganhar a bola.

Até mesmo a construção da jogada é melhorada. O ritmo mais lento incentiva os jogadores que gostam de jogar mais com a posse da bola. Os lançamentos são mais precisos, graças à nova física da bola, que permite trajetórias muito realistas. Sem contar os chutes: enquanto no FIFA 13 as maneiras de fazer gol eram mais ou menos sempre as mesmas, no FIFA 14 tudo muda. O sistema Pure Shot permite definir a potência e a direção do chute com mais precisão e variedade do que nunca.

Além disso, os atacantes são mais coordenados e procuram o melhor ângulo de chute ou o momento adequado para tentar fazer um gol e, acima de tudo, são capazes de chutar em voleio de uma forma ultrarrealista e ao mesmo tempo espetacular.

Imagine-se durante um cruzamento lateral. Você terá a oportunidade de chutar de rebote e fazer um gol sensacional, um verdadeiro deleite para os olhos. Temos certeza de que o voleio será a joia mais apreciada por muitos jogadores nesta edição do FIFA.

“Quais são as mudanças na jogabilidade?” A resposta a esta pergunta é longa. As melhorias para a jogabilidade do título são muitas e apresentam um maior realismo. Principalmente depois do FIFA 13, que tinha um gameplay rápido demais e com muitas inversões no jogo.

E se fizéssemos a mesma pergunta a um jogador novato, ele seria capaz de responder? Temos nossas dúvidas. Na verdade, pensamos que as alterações na jogabilidade são uns retoques que só os que são fãs de longa data podemos apreciar.

Você lembra da primeira versão do Impact Engine? Essa foi uma revolução do título. Apesar de sempre apreciarmos as melhorias, nos parece que a EA está se aproveitando da fama, consciente da vantagem obtida sobre o Pro Evolution Soccer 2014.

Interface e menu

Em algumas edições do FIFA, a EA pecou por presunção, deixando de lado a navegabilidade dos menus e negligenciando a usabilidade. No FIFA 14, é mantida a mesma configuração de antes, mas sob uma inovadora aparência de mosaicos, inspirada na estética lançada no Windows 8.

A nova tela inicial é muito amigável, e ali você vai encontrar tudo o que precisa. Os menus incluem seções que explicam direitinho como driblar e fazer pedaladas: um verdadeiro avanço para os novatos, para que possam aprender mais rápido como executar os movimentos e recuperar o atraso em relação aos jogadores mais experientes.

É verdade! O novo menu e o design são um prazer para os olhos e ótimos na usabilidade. Essas mudanças importantes são bem-vindas, mas, infelizmente, não se refletem em todos os lugares. Você já reparou, por exemplo, no menu de configurações ou no da escalação, táticas, etc.? Tudo se manteve igual. No meio de toda essa reformulação esperávamos algo novo sobre estes aspectos também. Aproveitaríamos a oportunidade para rever o editor tático, que há anos continua inalterado e inferior ao do PES 2014.

E agora? Cabe a você o julgamento final. Qual a sua opinião sobre o novo FIFA 14?

Artigo original em italiano, escrito por Daniel Barranger e Alessandro Licitra.

Carregando comentários