Como o Jelly responde perguntas que o Google não consegue

Fazer boas perguntas é uma arte. Com o Jelly, então, perguntar é fácil: basta tirar uma foto, desenhar e enviar para seus amigos. Tudo acontece em questão de segundos.

Se você não conhece, Jelly é um aplicativo para Android e iPhone, criado por Biz Stone, cofundador do Twitter. O objetivo principal é criar um meio mais fácil para as pessoas se ajudarem, por meio de perguntas e respostas. É visual (o app usa fotos e desenhos) e social (integrado com redes sociais). E também é grátis.

Para você ter ideia dos tipos de problemas que o Jelly se propõe a resolve, vou mostrar uma situação que acontece muitas vezes. É o tipo de situação que demonstra como temos perguntas para fazer o tempo todo – e que são perguntas que os buscadores clássicos como o Google não têm capacidade para responder.

Um tipo de pergunta que o Google não consegue responder

Há alguns dias, eu caminhava por uma rua em Barcelona onde nunca havia passado e reparei num edifício singular. Seu estilo era familiar, mas eu não tinha informações. Queria saber mais, mas o buscador não me ajudou: ao colocar a direção, só apareceram ruas, guias e lojas. E a pesquisa por imagens mostrou imagens estranhas relacionadas com o prédio.

O Jelly permite fazer perguntas a partir de imagensEste é o prédio que vi numa rua meio vazia em Barcelona. Bonito, né?

Eu poderia ter perguntado para alguns dos meus contatos do WhatsApp, mas para quem? Embora eu tenha um arquiteto na minha agenda, a probabilidade dele conhecer o edifício era muito baixa. Além disso, eu não queria incomodar meus amigos com uma pergunta tão banal, por mais que eu estivesse obcecado pelo assunto.

Busca de imagens do Google só retorna fotos semelhantesTentei procurar o prédio no Google Imagens e este foi o resultado

Por fim, havia encontrado um problema com o qual nenhum buscador poderia me ajudar. Eu poderia ter visitado uma biblioteca pública. Para o celular foi uma derrota. Em compensação, se eu usasse o Jelly, poderia tirar uma foto do edifício e enviar para meus contatos em busca da resposta.

Pode enviar perguntas para seus amigos e amigos dos seus amigos

Você quer saber algo? Tire uma foto e pergunte aos seus contatos. Assim funciona o Jelly. E só demora alguns segundos para alguém responder. No meu caso, eu peguei a foto do edifício no Google Street View e publiquei com uma pergunta: “Quem construiu este edifício?”. Para adicionar algo expressivo – e um pouco dramático -, desenhei uma flecha em direção ao bloco de apartamentos.

Junto com a foto, o Jelly permite incluir mais informações e desenvolver a pergunta

A pergunta é vista pelos meus amigos do Facebook e Twitter, e pelos amigos dos meus amigos, mas só dentro do aplicativo. Quem souber a resposta pode escrever um texto ou desenho sobre a foto postada (por exemplo, ressaltando uma coisa que eu não tinha reparado). Caso contrário, podem ignorar a pergunta ou reenviá-la para alguém com mais conhecimento de causa.

Mesmo que a pessoa não saiba a resposta, ela pode encaminhá-la para outros amigos

Os contatos podem votar nas respostas com uma espécie de “curtir”. Assim, a resposta com mais votos é a primeira a ser mostrada. Por outro lado, as respostas inadequadas são marcadas como tal. O mesmo pode ser feito com as perguntas. Isso evita, por exemplo, que perguntas sem sentido, vulgares ou ofensivas consigam visibilidade.

O Jelly permite denunciar imagens ou temas ofensivo

Quer ajudar? O Jelly mostra as perguntas como cartões na tela principal. As perguntas passam com um movimento de cima para baixo, enquanto as respostas são deslizadas na horizontal. É um sistema cômodo e intuitivo, mas que não permite voltar para o cartão anterior. Assim, se você descartou uma pergunta, terá que seguir passando as outra perguntas muitas vezes para, talvez, voltar a encontrá-la.

As perguntas podem até mesmo para pedir dicas de preparo de receitas

No futuro, talvez, nós veremos mais coisas no Jelly, como vídeos curtos do tipo Vine, um sistema de categorias com tags e filtros para melhorar a busca. O utilitário de desenho também pode ser melhorado. Por fim, a ausência em algumas redes, especialmente no Google, faz o aplicativo não aproveitar todos os seus contatos. São pontos fáceis de serem resolvidos quando o Jelly tiver êxito.

Uma ideia interessante, mas dependente da comunidade

Visual e social: hoje em dia, tudo é assim. E os criadores do Jelly pensaram que a busca também poderia ser assim. Eles entenderam a dimensão social de um site como Quora, no qual especialistas e pessoas importantes fazem todo tipo de perguntas, e juntaram com a velocidade quase instantânea do Snapchat e Vine. Tudo é rápido no Jelly: perguntas, respostas e votos.

O Jelly ainda tem bastante espaço para melhorar

Por ser tão rápido, infelizmente, tudo é banal. Talvez seja pelo formato, talvez pelo aplicativo ser jovem, mas a qualidade das perguntas é desencorajadora. Algumas pessoas perguntam se o ravióli está no ponto, outros tiram fotos dos objetos do seu escritório e também há os que enviam frases mais que engenhosas e, às vezes, ofensivas. Isto não é, necessariamente, algo negativo: o Jelly não deseja ser uma Wikipedia.

Algumas respostas não são muito encorajadoras

A intenção do Jelly é incentivar pequenas ações, como perguntar e entreter. Ver o aplicativo como um repositório de conhecimento humano é inadequado: Jelly está mais próximo do Tumblr, com suas sucessões de imagens bonitinhas e misteriosas, que o sério Quora. As imagens fazem sorrir e pensar; as respostas também. Mas o conhecimento é escasso e os usuários, por hora, poucos.

Se você tem uma dúvida pontual e visual, vale a pena tentar a resposta no Jelly. E se você estiver aborrecido com qualquer coisa, navegar pelas perguntas e respostas pode ser bastante divertido – instrutivo, inclusive. Não pense duas vezes para clicar eu “gosto” e “não gosto” onde achar necessário. E, sobretudo, só procure responder se você tiver algo útil ou divertido para dizer: sua reputação na comunidade do Jelly depende das suas respostas.

Qual pergunta você faria no Jelly?

[Artigo original em espanhol]

Carregando comentários